Seguidores

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Vamos aumentar o verão da Bahia?

Pessoal,

É o seguinte: Todo mundo que mora em Salvador sente muito calor antes e depois do verão oficial, que ocorre nos dias 21 ou 22 de dezembro.
Neste Blog, evitaremos tratar o assunto por palavras técnicas ou científicas para não afastar a maioria das pessoas da leitura. Como ainda estamos construindo, não temos a indicação dos lugares na internet onde estão disponíveis as informações para o entendimento sobre como e porque ocorrem as estações do ano, por causa dos movimentos da terra, mas em breve vamos colocar aqui.
Para quem preferir pesquisar para entender a nossa proposta, pode navegar nos sites de buscas colocando as palavras: "Estações do Ano", "As Quatro Estações", "Verão", "Inverno", "Primavera", "Outono", "Solstício", "Equinócio", "Movimentos da Terra", "Trópico de Capricórnio", "Trópico de Câncer", "Hemisfério Sul", "Hemisfério Norte", "Translação", "Zênite Solar" ou "Equador".
Para quem entende por que as estações do ano ocorrem, lá vai:
Se o sol incidirá sobre Macapá - AP ou sobre o Equador, como queiram, na primavera do nosso hemisfério sul no dia 22/09/2009, ele incidirá sobre a nossa Salvador - BA por volta do dia 27/10/2009, ou seja este dia será o nosso primeiro zênite solar. O sol continuará a sua viagem e incidirá sobre Santana de Parnaíba - SP ou sobre o Trópico de Capricórnio, como queiram, em 21/12/2009, que é o verão oficial. No caminho de volta ele passará novamente por Salvador por volta de 15/02 do ano seguinte, quando ocorre o segundo zênite solar na nossa cidade.
Pergunto:
Não seria melhor se fosse considerado que o verão de Salvador começa em 12/09/2009 (quarenta e cinco dias ou um mês e meio antes de 27/10/2009, que é o primeiro zênite) e vai até 01/04/2009 (quarenta e cinco dias ou um mês e meio depois de 15/02/2010, que é o segundo zênite) em contraposição ao período oficial? (data culminante 21/12)
É claro que com um verão muito aumentado, as outras estações para Salvador seriam distorcidas e teriamos primaveras e outonos reduzidos, além, é claro, de um inverno também menor.
O critério de utilização de 45 dias antes e depois dos zênites observados na capital denota nossa prudência em relação à proposta de reconhecimento do verão de Salvador, uma vez que as estações oficiais duram o dobro, ou aproximadamente 90 dias, pois são quatro as posições astronômicas durante o ano (~ 365 dias / 4 = ~ 90 dias).
Se em 15/02/2009 ainda temos "Sol a Pino" seria natural que o nosso outono fosse deslocado para além do outono oficial do hemisfério sul (20/03/2010), ou seja um mês e meio depois do segundo verão, fato que aconteceria por volta do dia 02/04/2010. Pelo mesmo raciocínio nossa primavera viria mais cedo, antes da data oficial que será 23/09/2010, ou seja, ela chegará em 12/09/2010, um mês e meio também antes do "Sol a Pino" que ocorre na nossa cidade antes do verão oficial.
Logicamente cada cidade ou cada localidade poderia ter verões diferentes, principalmente se existem interesses em turismo ou frequência de praias.
Outro ponto importante dessa teoria é aproveitar tais fatos científicos para ajudar a população a se proteger da radiação solar, por outro lado. Além do aquecimento global causado pelo efeito estufa, os verões do sul contam com mais radiação solar do que os verões do norte por causa das posições denominadas "Afélio" e "Periélio" e nos próximos anos essa diferença se acentuará ainda mais.
A depender da distância dessas localidades em relação ao equador ou os trópicos, por exemplo, cada uma poderia descrever as suas estações em relação às quatro posições distintas da translação da terra. Para Salvador, por exemplo, o inverno permaneceria inalterado, pois seria o caminho do sol depois de 15/02/2010 em direção ao norte, até o trópico de câncer.
A palavra está com todos vocês.
Grato,
Luiz Sampaio

30 comentários:

  1. Parece interessante sim, embora demande maiores informações.
    Vamos aprofundar a questão e quem sabe, instituir pela primeira vez dois verões oficiais?! Salvador agradece.

    ResponderExcluir
  2. Esse cara que postou isso ai só não é mais doido porque é um só!!
    Mas eu concordo com o que ele, afinal na data que dizem ser a chegado do verão aqui em Salvador, não é o dia mais quente do ano, logo nos primeiros dias de novembro o calor aqui velho é de lascar o cano, mas em minha opinião isso vai dar muito pano pra manga.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza!!! Acredito até que essa coisa dificilmente será reconhecida e aceita 'politicamente', pois é justamente isso que impede que tenhamos nosso calendário reconhecido... Já pensou, a quantidade de pessoas que deixariam de visirtar outras cidades 'grandes metrópoles', e viessem a Salvador?! Pois, economicamente falando, seria ou, quem sabe, será muito bom quando isso acontecer, pois estaremos crescendo não só no turismo, mas em outras áreas tb. Inclusive, quero deixar aqui registrado uma coisa que me ocorre.. Pode ser loucura, devaneios, sei lá o q, mas o que passa em minha cabeça é que futuramente, num futuro não tão distante, teremos que trocar a noite pelo dia, pois, com esse aquecimento que estamos vivendo, teremos que adotar diferentes rotinas de trabalho. não está sendo mais, tão saudável, para muitas pessoas, sairem para trabalhar durante verão..E ai? Teremos dois turnos?

    ResponderExcluir
  4. Eu concordo contudo embora não seja uma "expert" no assunto sou muito entendida em "CALOR" (rs) então sou testemunha de q Salvador tem um verão deveras prolongado! e vamos adiante...

    ResponderExcluir
  5. Esse cara CHEIRÔÔÔÔÔ COLAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  6. Esse cara é um gentleman,( só não é filho de Ainstein) gostei muito deste site, irei repassar o end. para meu sobrinho. tirei minhas duvidas sobre as estções do ano) Ê Bahia que não me larga (Verão de Salvador, calor no Coração).

    ResponderExcluir
  7. Uma boa idéia! Isso vai incrementar as receitas do estado com o turismo, pois além de Salvador temos também Lencóis, Porto Seguro, Itacaré, Morro de São Paulo...

    ResponderExcluir
  8. Fantástico!
    Esse é o diferencial de Salvador em relação a outras localidades turísticas.
    Diga-se de passagem que Salvador não tem inverno, tem "chuverno", e o calor continua e pode-se até pegar uma praia!
    Digo isto por experiência própria, pois saí de São Paulo para Salvador a trabalho, levei agasalhos pois não conhecia essa faceta do tempo na capital baiana, e no entanto tive que sair para comprar biquine e roupas leves, mas foi muito bom.
    Vamos aproveitar essa maravilhosa idéia do nosso "Anônimo Einstein" e divulgar o verão quase perene da cidade mais colorida que já pude conhecer.

    Helena Freitas.

    ResponderExcluir
  9. Fala séééério... fumou o cigarrinho do demônio foi?
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....

    P.Caires.

    ResponderExcluir
  10. Achei uma excelente idéia!! O que define uma estação do ano é o padrão climático(wikipédia rs)e, levando isso em consideração, nada mais justo que o verão da Bahia comece mais cedo, porque o clima esquenta muito antes da data que marca o início do verão... gostei da iniciativa!!! Acho que vou plantar essa idéia aqui em Lisboa, porque o frio aqui começa muito antes e termina muito depois das datas do inverno propriamente dito rs Além de ser interessante por causa da associação à condição climática, o turismo da Bahia ganharia mais força, seria mais rentável e popular. Quanto à vc, Autor Anônimo, por enquanto... aí sabe correr atrás de ideais viu rss

    ResponderExcluir
  11. O ideal seria se realmente houvesse um verão em diferentes datas para cada região, porque aí poderíamos determinar aonde e quando passar o verão ou as férias.....

    ResponderExcluir
  12. SENDO ASSIM, A JULGAR PELAS INFORMAÇÕES TECNICAS E IRREFUTÁVEIS, SUA TEORIA É ROBUSTECIDA PELA GAMA DE INFORMAÇÕES COLETADAS.
    aTÉ PORQUE OS PADRÕES ESTABELECIDOS NÃO CONTAM A ÓRBITA ELÍPTICA TERRESTRE, COMO DIZIA COPÉRNICO.

    ResponderExcluir
  13. Ok!!! O link nos leva a uma simulação que ajuda a entender um pouco + o que você está "dizendo", antes era muito blá,blá, blá.
    Mas continuo dizendo, até que me provem o contrário, você cheeeeerôôôôô colaaaaaaaaaaa!!

    ResponderExcluir
  14. (Redigido em 03/05/2009, este comentário não foi absorvido pelo sistema BlogSpot à época)

    Acho que o exposto, e proposto aqui, está correto e é perfeitamente compreensível, tanto pelos amadores, quanto os profissionais, reafirmado pelo pessoal da praia (surfistas, pescadores, andarilhos, etc.) que presenciam e sentem na pele os períodos de Sol.

    Cada região do planeta deve investigar mais a fundo as características das suas estações, visando saber mais, senão para tirar algum proveito e tomar decisões (lazer, negócios, etc).**

    Numa outra visão, se estará caracterizando melhor o clima da região ou regiões em questão.

    Em ciência, o conhecimento de HOJE (o de "até agora") é tido como PASSAGEIRO -- sempe foi assim, mutável. Existem muitas pessoas que pensam que o que sabemos através da ciência é estático, incontestável, praticamente um obelisco inabalável -- Mas, obeliscos também podem, rachar e/ou cair. Para que se tenha algo incorporado ao conhecimento científico, tem-se que "provar por A+B". E, assim, vamos construindo o "todo" neste setor.

    Se pensava antigamente que a Terra era plana e que o Universo girava em torno dela. Caiu,... mudou! Não se podia imagiar alguém vivo gravitando em torno da terra e voltar ao chão novamente, muito menos ir à Lua... ou a Marte.

    Voltando ao assunto Sol, já notou como o sol aparece ou se esconde na região polar? Pois, por exemplo, 136 dias sem nascer o Sol na localidade de "Alert", cuja latitude é 82º 30’ N -- e neste mesmo lugar, há uma "noite polar" de 107 dias. Natural, não estranho.

    Veja no simulador que implementei para este Blog, posicionando-se a Zero Norte ou Zero Sul -- e anime um ano. Observe o Sol...

    E, que tal, quase 4 meses, praticamente sem parar de chover na Índia?

    Então, o que há de estranho num lugar com DOIS VERÕES ou um VERÃO MUITO LONGO? Natural, não?


    Até depois...
    Artur Sá Menezes.
    _____________________

    ** A propósito, atualmente, tem sido exposta uma reportagem (TV-Cabo) a respeito das regiões magnéticas da Terra, suas mutações, inversões e consequências nas regiões da Terra. -- vamos, possivelmete, torrar (!) por falta de defesa contra os raios cósmicos. Sério!
    .

    ResponderExcluir
  15. Esse cara é piradooooooooooooo

    juanita nery hahahaha

    ResponderExcluir
  16. Para toda a região equatorial, entre os dois trópicos (+23,5 graus de latitude, no norte, e -23,5 graus, no sul), o conceito de estações não se aplica. Os dias mais quentes e mais frios não são os do calendário de estações, já que nesta região toda o Sol passa pelo meridiano duas vezes ao ano.

    ResponderExcluir
  17. Prezado Professor Kepler,

    É uma honra para mim recepcionar, também, o seu comentário. Lhe sou muito grato!
    Se, exatamente pelo fato das estações serem mais perfeitamente observadas fora dos trópicos, não seria o caso de criar novas regras e modificar os livros didáticos ou mencionar adequadamente as diferenças climáticas das estações intertropicais? Uma vez que elas (as estações astronômicas) não são aplicáveis na nossa região, por que não criarmos regras aplicáveis? Claro que as estações, além das posições solares também encerram padrões climáticos, e estes não estão em discussão aqui. Será que precisaremos normatizar mais do que estações para as regiões intertropicais? Vou disponibilizar uma tabela que possuo em um artigo escrito, em breve, para discutirmos melhor o assunto,

    Mais um vez,muito grato!

    Luiz Sampaio

    ResponderExcluir
  18. Já que não consegui um outro lugar onde postar comentarios sobre o site inteiro, vou colocar aqui.Achei tudo no blog muito legal, vai me ajudar bastante já que estou trabalhando no assunto, nenhuma informação incompleta ou realmente falsa.Parabéns, mas o legal seria personalizar o blog, é apenas o que falta.Você pode procurar como google ou entrar no site http://www.blogtemplates.info/2007/06/dicas-e-tutoriais-para-personalizar-seu.html

    ResponderExcluir
  19. ALESSANDRO BERNARDI7 de junho de 2009 17:30

    Esta discussão é muito interessante e importante pois no futuro a estações do ano serão nossa salvação ou nosso fim. Hoje, na prática, sem maiores detalhes técnicos, sinto que Salvador é feito de 2 estações do ano. A que faz Sol na maioria dos dias e a que chove na maioria dos dias. Percebo também que estas 2 estações têm variado o período do ano. Observo as simulações com computadores de altíssima capacidade mas fica difícil acreditar previsões maiores que uma semana. Ou seja, no próximo ano, quem vai apostar o período de chuva e o período de sol? Por fim, concordo que criar regras genéricas para explicar a estações do ano para o mundo inteiro não é a melhor escolha. Acredito que cada subsitema pode ter suas características próprias e necessita que as pessoas tenham esta informações para que as discussões e decisões não sejam feitas de forma errada.

    Alessandro

    ResponderExcluir
  20. Continuando :: 0002 ::

    Acho que temos uma série de coisas a considerar e outras tantas a rever sobre o assunto. As opiniões aqui colocadas começam a dar corpo às coisas e fazer pensar mais. Pode-se estar inaugurando o período onde a literatura local se sobreporá à literatura global, onde se tenta regulamentar tudo aos olhos dos nortistas (norte-americanos, europeus, etc). Eu não me preocuparia com autores do que está estabelecido mas não se aplica ou está incorreto -- sejam quem forem, pois acho que eles mesmos estão dispostos a rever. Reafirmo que não existe esta coisa de "imutável". Muito pelo contrário, o próprio Universo nos mostra como as coisas, todas elas, mudam -- independentemente de quem quer que seja, exceto Deus. Qualquer estudo, principalmente os mais ousados (buracos negros, particulas subatômicas, etc...), nos mostram como e o quanto estamos a mercê da "Criação Maior" e como o que estava seperado se encontra (interligações / correlações).

    Bemvindos:
    =========
    *Dr. Eugênio Scalise, INPE;
    *Prof. Kepler de Oliveira, PhD, Astrofísca da UFRGS.

    Abraço!

    Artur Sá Menezes.
    _________________________________________________
    Animações Gráficas / Verão da Bahia - BlogSpot
    .
    .

    ResponderExcluir
  21. Valeu professor.. Passeiiii!!!!

    ResponderExcluir
  22. ♥ Tô achando isso tudo FANTÁSTICO!

    Dany Lima ♥

    ResponderExcluir
  23. Entendo, não significa que porque em novembro na Bahia é mais calor que tem que ser verão!!!

    Aqui em Brasília por exemplo, tá um frio, e continua frio até fevereiro, então quer dizer que nesse periodo aqui é Inverno??

    Tudo isso equivale as mudanças climaticas!!!

    ResponderExcluir
  24. Olá Leonardo,
    Muito obrigado pela sua participação! A questão é exatamente essa: seriam normatizações locais. O que proponho não pode ser regrado para todas as localidades, ainda que possuam as mesmas latitudes, justamente por causa de diferentes condições climáticas, conforme disse no artigo publicado aqui na postagem "Novos Elementos" chamado "O Ensino das Estações do Ano em Relação às Latitudes Intertropicais". É justamente por utilizarmos uma literatura que foi produzida por países dominantes (todos localizados fora dos trópicos: EUA, Europa e Japão, por exemplo) que a mesma não se aplica corretamente em todas as localidades, pois, conforme dito pelo Prof Kepler de Oliveira "As Estações são máximas nos pólos e tendem a sumir no equador". Acontece que, como cidadão de Salvador, abro um livro didático que explica a regra oficial como se ela estivesse correta para o mundo todo. Será que com toda a possibilidade de informação que temos atualmente não poderíamos criar normas variadas? Em Salvador possuímos um inverno, que coincide com o oficial, quando o sol incide sobre o trópico de câncer, no hemisfério norte. Não possuímos neve, obviamente, mas dormimos cobertos, ligamos o chuveiro e não vamos à praia. Se as condições climáticas de Brasília (Cidade que só estive uma vez, e não conheço a ponto de poder inferir sobre suas condições climáticas, conferidas pela continentalidade) (Inclusive ela foi construída próxima a um lago justamente para amenizar essa continentalidade) seguem um padrão diferente, que assim seja defendida, então pelos seus cidadãos. Se essas condições puderem ser congruentes com as quatro posições astronômicas da terra, poderíamos normatizar dessa forma. Certamente precisaríamos pesquisar as várias localidades. Sem pensar nisso, já se fala em verão amazônico, mas ainda não se normatizou nada. Para Salvador o verão é mais longo, devido a sua posição privilegiada e as condições climáticas, possivelmente conferidas pela maritimidade. Em breve, depois da nova postagem que já está quase pronta do Solstício de Verão em Salvador, vou postar uma tabela que estou construindo com base nos dados do Observatório Naval Norte Americano que deveria constar dos livros didáticos, para que nós pudéssemos aferir nossas estações de acordo com as condições de cada localidade sem esquecer das quatro posições astronômicas do Planeta, para não afastar tanto das regras oficiais.
    Seja bem vindo. Continue participando!
    Abraço,
    Luiz Sampaio

    ResponderExcluir
  25. No diálogo entre harmonia e criatividade , Vivalde escreveu AS QUATRO ESTAÇÕES .Esse concerto resulta da tentativa de Vivalde em expressar musicalmente fenômenos da naturaeza ou sentimentos , como a primavera , verão , outono e inverno retratados em as quatros estaçãos .Que tipo de sentimento há por trás de se prolongar essa estação(verão)?
    Boa sorte !

    ResponderExcluir
  26. No diálogo entre harmonia e criatividade , Vivalde escreveu AS QUATRO ESTAÇÕES .Esse concerto resulta da tentativa de Vivalde em expressar musicalmente fenômenos da naturaeza ou sentimentos , como a primavera , verão , outono e inverno retratados em as quatros estaçãos .Que tipo de sentimento há por trás de se prolongar essa estação(verão)?
    Boa sorte !

    ResponderExcluir
  27. Olá Irana,
    Realmente é um perfeito equilíbrio, a obra de Vivaldi. Não sei se gosto mais dela ou do Danúbio Azul. Ele consegue nos dar impressão de ver as formigas trabalhando nas passagens entre Allegro e Longo da Primavera, da mesma forma que nos remete à melancolia com o Adagio Molto do Outono ou o Allegro non Molto do Inverno, pelo menos para mim, essa é a sinestesia que ocorre. No nosso caso, o sentimento que move toda essa pesquisa é o de que não devemos mais, simplesmente utilizar de literatura nortista (Americana ou Européia) simplesmente porque estão nos livros. As regras das quatro estações como aprendemos só valem para as localidades fora dos trópicos e ainda não existem regras para as regiões tropicais. Cabe à ciência de algum lugar entre os trópicos levantar a voz e normatizar regras próprias, é que estamos tentando fazer. O nosso verão é de fato mais longo do que o oficial, sentimos isso na prática, mas não está escrito em nenhum lugar, ou seja, não é reconhecido dessa forma. Em resumo, é uma inquietação de pesquisador, o sentimento que nos move.
    Obrigado pelo seu comentário!
    Ajude a divulgar nosso Blog.
    Mais detalhes no texto do artigo científico no postagem Congresso de Educação do Sul da Bahia 02 de julho de 2010.
    Se ficar em dúvida com relação a alguma palavra ou conteúdo, pode entrar em contato.
    Grande Abraço,
    Luiz Sampaio

    ResponderExcluir
  28. Professor,

    Eu não entendia a profundida e a relevancia deste tema, até ler a sua postagem.

    Agradeço por não deixar a ciencia morrer.

    Forte agraço Judival

    ResponderExcluir
  29. Realmente, esta discussão mostra que a ciência ainda não morreu, especialmente na Bahia, lugar que não é muito valorizado em termos de conhecimento e produção cientifica.
    Se vamos aumentar os dias do verão eu não sei, mas a tentativa está valendo!!!
    Grande abraço, Cris

    ResponderExcluir
  30. Ola, bastante interessante, gostei muito! abração!

    ResponderExcluir